Entrevista exclusiva com Márcia Franco. Ela conta tudo!

Empresária e produtora brinda os baianos com o retorno do esperado selo Off Road, numa super festa para celebrar, descarta a volta da Off Club e revela que muitas festas estão no caminho



"Mas não tenho vontade de abrir uma nova boate. Da forma que percebo o atual mercado de entretenimento não acho que isso seja o mais importante"

Por: @Marcello Fontes



Márcia Franco /Foto: Divulgação


Baiana, natural da cidade de Vitória da Conquista, a empresária Márcia Franco, que deixou suas atividades de economista no passado, continua com a mesma vibe e super antenada. Quem pensa que ela não quer mais saber de um bom agito noturno está enganado. Marcinha, como é carinhosamente chamada por seu fiel público, que não esquece a importância da saga da empresária no meio LGBT, após ter mantido por onze anos a Off Club - verdadeiro palco de grandes ideias, memórias, música, artistas e muitas festas, enfim, uma caixa preta de fortes emoções -  e atualmente à frente da empresa Pólo ícone Produções e Eventos, como diretora executiva, têm contado os dias e presenteará sua legião de fãs, matando fortes saudades das tribos, através da aguardada festa Off Road, selo itinerante da Off Club, que retorna em sua décima edição, com onze DJs, muitos deles bem conhecidos do público, nesta quinta-feira, 20, véspera do feriado de Tiradentes, na Salvador Music Place, em Patamares, assegurando vida longa aos grandes eventos LGBTs que a Off fazia, bem produzidos e jamais esquecidos pela galera. "Mas não tenho vontade de abrir uma nova boate. Da forma que percebo o atual mercado de entretenimento não acho que isso seja o mais importante", avalia Franco. É isso. Conte as horas, os minutos e os segundos. Off Road será um revival de alto nível e bom gosto. Mais que isso. Um brinde à altura de sua vibração e um convite para ser feliz. Agora, confira a entrevista que o Vapor Baiano fez com a empresária. In off! 

VAPOR BAIANO -  Márcia, você resolveu reativar os comandos trazendo a OffRoad, festa itinerante da boate Off Club, como um brinde à saudade?

MÁRCIA FRANCO - Sobretudo à saudade daqueles que frequentaram a casa, porque estando ali foram co-criadores da Off, que hoje é mais que um espaço...Hoje é um modo de se divertir e uma comunidade de pessoas que se reúnem por gostar do estilo de momentos que a gente promove. 

VB - Como estão os preparativos e como está o nível de ansiedade. Você é uma pessoa ansiosa?
MF - (Rsrs). Os preparativos estão sob controle, cada coisa no seu lugar. Nós cuidamos de todos os detalhes procurando criar experiências que realmente sejam especiais. A ansiedade moderada é a mola que me faz produzir.

VB - O que seu público pode aguardar?
MF - Menino, como a gente propõe com o tema,será um revival das boas experiências das noites da Off. Porque reviver é muito mais que relembrar. Estamos organizando a festa de modo que reproduza o que sempre tivemos em termos de boa discotecagem, atendimento de qualidade, logística que atenda a todos da melhor forma possível. E com certeza, serão novas experiências, mas com a energia que sempre permeou as nossas baladas. Carinho e gentilezas sempre!

VB - Pensa em realizar mais festas com a cara da Off Club? Tem vontade de abrir uma boate novamente?
MF -  Penso em realizar outras festas, sim. Porque amo organizar eventos em que vejo o público vibrar. Mas não tenho vontade de abrir uma nova boate. Da forma que percebo o atual mercado de entretenimento não acho que isso seja o mais importante.


Foto: Angeluci Figueiredo

VB - E nesse período, sem a Off Club, o que você andou fazendo?
MF - Empreendendo novos caminhos, de forma ampla. 

VB - Como avalia a cena gay baiana? Evolui ou precisa melhorar sempre?
MF -Tudo precisa de evolução sempre. Muito se perdeu com o tempo e muito pouco se ganhou.

VB - House, tribal, progressive... Qual som te agrada mais?
MF - Como sempre disse, música bombeia vida nas minhas veias.Dentro do segmento de balada, amo tudo que venha com a batida tribal. O grave me atrai muito. Mas também tenho curtido muito o Deep House, que acho muito elegante e nos deixa numa vibe muito gostosa.

VB - Como está o line-up da Off Road?
MF - Dos dez DJs que tocarão na festa, nove foram residentes de diversos selos de festas da Off Club. São eles: Sandra Bull, de São Paulo; André; Chiquinho; Márcio Santos (Oliver Jack); Santz; Adriana Prates; Alessandro; Miro e Alisson. O DJ Léo Viana, do Rio de Janeiro estará pela primeira vez no Circuito Off Road. O evento também contará com a presença de Drags que atuaram na Off, como Pandora Bit, Pink, Tanusha Taylor, entre outras. Os antigos clientes da Off reverão ainda o tequileiro Toni Fernandes, que estará animando a área dos camarotes. Vários dos antigos colaboradores da Off e empresas que foram fornecedoras estarão prestando serviço na festa. Nem mesmo pessoas que trabalhavam de forma alternativa no entorno da boate da Barra foram esquecidas. Entre elas estará presente Cabeça, o vendedor de cigarros e chicletes que fazia ponto na porta da Off.

VB - O que você ainda não fez no universo gay e gostaria de fazer?
MF - Do ponto de vista profissional, já estou programando novidades, mas por enquanto em Off. (Rs).

VB - Ontem, hoje ou amanhã?
MF - hoje,sempre.

Arquivo

Mostrar mais